Conta-ME Histórias, Que EU Gosto!… Contas? #28 – Um homem que é um HOMEM! – Um sonho de muitas de NÓS!…


Photo from the Internet

Photo from the Internet

 

#28 – Um homem que é um HOMEM! – Um sonho de muitas de NÓS!…

 

Vão longe os tempos em que as nossas avozinhas eras as eternas submissas – com ou sem zelo -, aos nossos queridos avós, que faziam questão de marcar terreno com a sua ostensiva masculinidade e posse, como se elas – [coitadas!] -, fossem “coisa” deles. Mas enfim… na altura, era uma questão cultural, as mulheres anularem-se a si próprias, em prol do bom funcionamento do casamento, já que, reza a história – quando se enveredava pelo casamento, aquele era, aliás, tinha que ser para sempre!… Felizmente os tempos mudaram, e, as mentalidades também.

Longe de me considerar uma feminista mal resolvida com a vida, venho aqui, sim, defender que os homens não são todos iguais. – Nothing new, so! – Também não o seriam certamente naquela altura, mas… invariavelmente, havia toda uma imagem patriarcal, de todo necessária, para manter as aparências – coisa que, nós mulheres, [as com dois palmos de testa], descartamos, nos dias de hoje.

Mas continuando o raciocínio, importa referir que há homens e Homens.

Com efeito, há homens que não valem mesmo a pena. Em caso de relação falhada, uma mulher – salvo as excepções, obviamente! -, acaba por esquecer o espécime, que nem poeira que sacode de si própria.

Refiro-me àquele miúdo giraço com 1,85 m, cara laroca, curso superior e emprego estável, mas que, não é mais do que, uma criança crescida que não sabe o que quer. Ou então, àquele indivíduo de trinta e poucos anos, que ainda vive em casa dos pais, tem alergia à cozinha, e, horror às lidas domésticas, pelo que a desarrumação caótica do seu habitat natural faz parte do seu modus vivendi; e, ai de quem o afronte pelo seu petulante “sou assim mesmo, e então?…”Ou também, àquele sedutor-predador, de qualquer idade que esteja em permanente processo de conquista, seguido de fuga, e que ostenta aquela missiva: “Hoje-sou-todo-teu. Amanhã-logo-se-vê!”Ou ainda, um  chove-não-molha que nos leva ao cinema, a jantar, nos oferece flores e noites de sonho, mas que não assume; não se compromete connosco. Interessa-se, mas não investe. Aquece, mas não queima. Na nossa presença diz que sim a tudo e mais alguma coisa, mas na hora da verdade, só faz o que lhe dá real gana.

Mulheres, coloquem em estado de alerta o vosso sexto sentido!… Sejam perspicazes e selectivas nas vossas escolhas. Livrem-se daqueles que lhes falte a atitude que um homem com maiúscula, tem.

Um homem que se preze, só hesita pelo tempo necessário, e, depois avança. Tem dúvidas, dilemas, mas é destemido. Tem inseguranças, fragilidades, mas acredita piamente nas sua potencialidades… e, o mais importante: – nele próprio! -. O seu instinto predador – que, a existir, é ingénito -, fá-lo agir no momento certo; dá a cara; veste a camisola; atira-se ao rio, se for preciso… pela mulher que ama, claro!

Um homem que é um Homem, sabe proteger a sua amada; sabe ouvi-la, acarinhá-la; sabe valorizá-la e respeitar as suas imperfeições. É companheiro; é amigo; é aliado, mesmo na diferença; é amante dedicado e namorado fiel. Sabe cuidar de nós quando adoecemos – e mesmo que não saiba, inventa; desenvencilha-se… para que recuperemos rapidamente.

Um homem que é um Homem, sabe ir ao supermercado e confeccionar aqueles pratos gastronómicos que tanto apreciamos – e mesmo que não saiba, providencia; faz por isso mesmo; há sempre algo ou alguém que pode dar umas dicas sobre miraculosas técnicas do desenrascanço. Vale o que vale, mas a atitude é, ao fim e ao cabo, aquilo que conta, certo?

Um homem que é um homem sabe de bricolage e de jardinagem, o quanto baste; e mesmo que não saiba, trata de desenvolver essa capacidade, ao invés de se render ao conforto do sofá, ou àquela teoria do “não-tenho-tempo!”, ou mesmo a do “não-tenho-jeito-nenhum-para-isso!”. Naturalmente, e, por amor, emerge do seu interior o artista inato, que até ele próprio desconhecia. Um golpe aqui, um penso acolá, faz parte do processo. Não serão essas redundâncias que o irão incitar a parar de surpreender a sua mais que tudo! Lindas e cheirosas flores, com um bilhete dos tais, serão sempre bem-vindos. – Ridículo?… Qual quê? – Afinal de contas, ele ama-nos!

Um homem que é um homem, não é para se levar com ligeireza; tampouco para se passar a mão pelo pêlo. É para estar ao nosso lado, mesmo sem promessas; sem cerimónias; sem contratos, nem vestidos de noiva. Ele sabe que tem que “dar o litro”; joga para ganhar. E, ganha mesmo! – O quê? – Ora, o que haveria de ser?

– A nossa companhia, o nosso respeito, a nossa exclusividade; a nossa dedicação, a nossa admiração… o nosso amor – Forever!

 

 

© Paula Pedro

 

Nota: Por expressa e legítima vontade da autora, este artigo não segue as regras do Acordo Ortográfico de 1990.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: